Podem faltar produtos nos supermercados se mobilização continuar, diz Agas

por Jornal Canudos

A Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) informou, em nota à imprensa nesta quinta-feira (24), que pode haver "desabastecimento em itens de hortifrúti, carnes, frios e laticínios refrigerados", ou seja, itens perecíveis, nos próximos dias, caso a mobilização dos caminhoneiros continue em todo o país. Estes itens, por terem vida útil mais curta, não são estocados pelos comércios.

Segundo o presidente da Agas, Antônio Cesa Longo, desde ontem agravaram-se os problemas de abastecimento de mercadorias para supermercados gaúchos. 

Já em relação aos produtos não-perecíveis, no qual se encaixam itens de mercearia (massas, biscoitos, grãos, leite, açúcar, bebidas, farináceos, matinais, condimentos, doces, bombonière, etc.), produtos de higiene e beleza, limpeza, bazar e não alimentos em geral, há um estoque médio de segurança de 15 dias. "Com relação a estes produtos, não há risco de desabastecimento para o consumidor final em um curto prazo", destaca.

Conforme Longo, os supermercados gaúchos recebem diariamente quatro milhões de consumidores em suas lojas, espalhadas por todos os municípios do Estado. "Reconhecemos a legitimidade do pleito dos caminhoneiros e somos favoráveis ao direito de livre manifestação, mas esperamos que o poder público chegue a um acordo com a categoria, no menor prazo possível, para que os consumidores e contribuintes brasileiros não sejam prejudicados", finaliza.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários