Jovens eram 35% do público à procura de emprego em 2017

por Jornal Canudos

A Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) cadastrou 2.240.843 trabalhadores nas agências do Sine no Rio Grande do Sul, entre os anos de 2011 a 2017. Os dados são da própria fundação, que também afirma que o contingente é formado por 1.216.038 homens e 1.024.805 mulheres. A instituição afirma que tem o maior banco de trabalhadores do Estado.

Somente no ano passado, foram efetuados 203.447 novos cadastros de trabalhadores. Desse total, 71,6% se autodeclaravam de raça branca; 7,8%, pardos e 5,58%, negros. No período, a procura por emprego nas Agências FGTAS/Sine foi maior entre os jovens: 35,57% dos novos cadastrados tinham entre 18 e 24 anos.

Em 2017, os solteiros passaram a representar 71,6% do contingente; casados, 18,3%; e em união estável, 4,9%. Seis anos antes, os solteiros representavam 59,9%; os casados, 25,5%; e os trabalhadores em união estável, 8,8%.

Renda e escolaridade

62% dos cadastrados compunham a renda; 29,8% eram chefes de família e 7,2%, dependentes. A renda familiar de 11,95% dos trabalhadores variava de R$ 937 a R$ 1.405,50. Já a renda de 8,5% dos cadastrados variava de R$ 1.405,50 a R$ 1.874 e de 8,4%, de R$ 1.874 a R$ 2.811. Os demais 6,4% possuíam renda familiar de R$ 2.811 a R$ 6.559.

Em relação à escolaridade, no ano passado, 39,5% dos cadastrados possuíam Ensino Médio completo; 12,9%, Ensino Fundamental completo e 7,2%, Ensino Superior completo. Em 2011, o contingente com Ensino Médio completo representava 37,5%; com Ensino Fundamental completo, 15,5%; e Ensino Superior completo, 5,27%.

 

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários