Exportações de calçados caem em agosto pelo mês seguido

por Jornal Canudos

As exportações nacionais de calçados caíram em agosto pelo quarto mês seguido. Conforme a associação brasileira das indústrias do setor (Abicalçados), foram embarcados para o exterior 8,8 milhões de pares (-7,3% em volume em relação a julho) por US$ 82,9 milhões (queda de 9,2% em receita sobre o período anterior).

Nos oito primeiros meses do ano, foram exportados 69 milhões de pares, gerando US$ 628,3 milhões, quedas de 10,3% e de 10,2% no comparativo com igual período de 2017.

Para o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, apesar do dólar valorizado sobre o real, o que tornaria o produto brasileiro mais competitivo no exterior, existe uma desvalorização generalizada das moedas dos principais clientes internacionais.

A Argentina é um exemplo. O país passa por uma crise econômica, embora tenha permanecido como principal comprador dos calçados nacionais no exterior. O país viu sua moeda perder 50% do valor em relação ao dólar em 2018.

“O fato encarece o nosso produto, em dólar, anulando qualquer efeito positivo”, esclarece Klein. Entraram, na nação vizinha, 1,8 milhão de pares neste ano. Os Estados Unidos estão na segunda posição, importando 634,2 mil pares de calçados nacionais. A França está em terceiro.

Estados

Entre os estados exportadores, o Rio Grande do Sul segue liderando, com quase 47% do total gerado nos oito primeiros meses ao ano. Foram 18 milhões de pares exportados a partir do estado. Ceará e São Paulo estão na segunda e terceira posições, respectivamente.

As importações, pelo quinto mês consecutivo, tiveram alta. Em agosto, os aumentos foram de 19,2% em volume (para 2,2 milhões de pares) e de 7,5% em receita (para US$ 32,7 milhões).

No acumulado do ano, as importações já chegaram a 19,75 milhões de pares e US$ 247 milhões, aumentos de 18,8% e de 7,5% em relação ao mesmo período de 2017. Vietnã, Indonésia e China seguem sendo as principais origens dos calçados importados.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários