Contas de luz devem aumentar para cobrir subsídio a programas sociais

por Jornal Canudos

Consumidores brasileiros terão de pagar R$ 1,937 bilhão a mais para custear a chamada Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), criada para custear políticas públicas do setor elétrico brasileiro, como o Luz Para Todos e o subsídio à conta de energia de famílias de baixa renda.

A revisão no orçamento do CDE, de R$ 18,843 bilhões para R$ 20,053 bilhões, foi aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na terça-feira (4). O aumento médio previsto nas tarifas será de 1,6% para os consumidores dos estados do Centro-Sul e de 0,3% do Norte e Nordeste.

O valor será repassado por meio da tarifa de energia, ainda neste ano na conta de luz das distribuidoras que ainda passarão por reajustes tarifários, e em 2019 para as demais.

Motivos

Segundo a Aneel, o aumento se deve, primeiro, ao acréscimo de 20% nos descontos tarifários concedidos aos usuários dos serviços de distribuição de energia elétrica, pela migração de consumidores especiais de energia (com carga mínima de 500 kW) para o chamado mercado livre.

Outro fator foi a inclusão de mais recursos para cobrir os gastos da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), a partir do acionamento do parque térmico de Roraima, por conta da eventual interrupção do fornecimento de energia elétrica da Venezuela para o estado.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários