Cinco partidos definiram candidatos à Presidência da República

por Jornal Canudos

Com o início das convenções partidárias, as legendas começam a se movimentar para as Eleições de 2018. Pelo menos cinco partidos já oficializaram as candidaturas. O prazo final para definição é 5 de agosto, conforme o calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e os partidos devem pedir o registro das candidaturas na Justiça Eleitoral até 15 de agosto.

Outros partidos costuram alianças. O Avante deixou em aberto a possibilidade de compor chapas. Já o PMN disse que não irá apoiar, a nível nacional, nenhuma candidatura no primeiro turno.

PSL define Bolsonaro

O Partido Social Liberal (PSL) definiu o deputado federal Jair Bolsonaro como candidato à Presidência. Ele discursou no domingo (22) na convenção nacional do partido, ocorrida no Rio de Janeiro.

Ainda não foi definido o vice. O candidato disse que, entre suas propostas, pretende acabar com ministérios como o das Cidades e fundir outros, como Fazenda e Planejamento, Agricultura e Meio Ambiente.

PDT escolhe Ciro

Ciro Gomes é o candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT) às Eleições de 2018. É a terceira vez que o paulista disputa à Presidência. O partido não informou quais legendas farão parte da coligação, e também não definiu o candidato a vice.

Na convenção do PDT, na sexta-feira (20), em Brasília ele disse que não é um “anjo” e que deve “perseguir” e “encerrar” cada privilégio.

PSC define Paulo Rabello

O ex-presidente do BNDES Paulo Rabello de Castro é o candidato do Partido Social Cristão (PSC) à Presidência. O partido tampouco tem vice definido, embora tenha dito que gostaria que fosse uma mulher, assim como alianças.

Castro disse que seu programa de governo tem 20 metas, inspirado no ex-presidente Juscelino Kubitschek. Entre elas, 500 centros de educação e enxugamento da máquina pública.

PSOL escolhe Boulos

Guilherme Boulos foi escolhido pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) para a disputa das Eleições. Coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), ele tem, como vice, a ativista indígena Sônia Guajajara. O PCB deve apoiar a chapa.

Entre suas propostas, uma política habitacional para a criação de “moradias populares”, taxar grandes fortunas e a “revogação” de atos do presidente Michel Temer.

PSTU define Vera Lúcia

A sindicalista Vera Lúcia é a candidata do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) ao Planalto. O ativista Hertz Dias será o vice. O partido não fará nenhuma coligação para a disputa presidencial, nem alianças nos pleitos estaduais.

Na convenção do partido, ela afirmou que, se for eleita, irá atuar pela defesa dos direitos trabalhistas, além de mais igualdade social.

 

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários