Início e final da Rua Ícaro contrastam na paisagem canudense

por Jornal Canudos

Pode-se dizer que há duas ruas Ícaro em Canudos: a do início da Rua Victor Hugo Kunz até a Praça Augusto Severo, e outra partindo desta até a Av. Alcântara, já na Vila Esmeralda. Embora repletas de residências e comércios, as duas se complementam em um flagrante contraste.

Enquanto a primeira, recém-reformada, se destaca na paisagem canudense pela boa sinalização e asfalto impecável, a segunda parece que foi esquecida pelo tempo e pelo poder público, responsável por sua manutenção.

Percorrendo a Ícaro para a construção deste especial, a reportagem do Jornal Canudos pôde perceber uma legítima preocupação dos moradores e comerciantes para a conservação de uma das principais ruas do bairro em direção a Campo Bom, principalmente em relação à conservação do asfalto, castigado pelo fluxo constante de veículos.

Há que se considerar, contudo, que a obra do extravasor, finalizada há poucos meses depois de passada por diversas administrações, trouxe benefícios à comunidade, embora seja apenas parte da solução. Rasgando Canudos de ponta a ponta, a rua que mais parece avenida requer mais cuidados, para que se transforme novamente em uma só.

Conheça Paulinho Trentin, o compositor da Rua Ícaro

Ícaro nomeia um personagem da mitologia grega. Conta a lenda que o rei Minos o prendeu num labirinto, juntamente com seu pai, Dédalos. Ícaro conseguiu fugir, alçando voo com asas de cera e penas que fabricara.

Porém, não atendendo aos conselhos paternos, elevou-se muito no céu e, por ter o calor do sol fundido a cera, caiu no mar. Que a via em Novo Hamburgo de mesmo nome siga seu caminho de desenvolvimento para que não caia, esquecida, no mar da indiferença.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários