Conheça Paulinho Trentin, o compositor da Rua Ícaro

por Jornal Canudos

A Rua Ícaro tem seus personagens característicos, mas poucos sabem que um deles, em especial, coleciona títulos e participações em festivais nativistas. O compositor de canções regionalistas Paulo Moraes Trentin, o Paulinho, é natural de São Francisco de Paula, na Serra gaúcha, mas se estabeleceu com um comércio em uma das principais vias do bairro Canudos, em Novo Hamburgo.

Ele participa de competições por todo o estado há mais de 20 anos. “Na verdade, não busco profissionalismo”, diz, com a experiência de quem acumula conquistas em festivais importantes, como o primeiro lugar na fase regional do Acampamento da Canção Nativa, em Campo Bom, no ano passado, além do prêmio de Música Mais Popular, para a milonga Conquistando Fronteiras (letra abaixo).

A letra desta música é dele, e a melodia, composta pelo compadre de Paulinho, o campo-bonense Cristiano Martins dos Santos, que também faz parte do Grupo Carona. “Já tive outras letras gravadas por diversos grupos da região, e ao total, compus mais de cem”, revela Trentin.

O compositor também acumula participações no Festival Ronco do Bugio, considerado o “mais autêntico do estado”, em São Francisco de Paula, onde já conquistou dois terceiros lugares. A última participação foi em 2017, com a canção Caminho das Tropas.

E como tudo isto iniciou? “Comecei do nada, e até hoje vejo isto como um hobby”, afirma. Para ele, o mais importante é que as composições tenham conteúdo, que possam tocar fundo na alma. “Minhas letras são compostas para que façam sentido, tenham significado”.

Conquistando Fronteiras

O meu cantar não é triste

É um canto sentimental

Para falar do rio grande

Da cultura regional

 

Vários povos, muitas raças

Vivem hoje em comunhão

Nos conflitos do passado

Que iniciou a integração

 

Sangue, suor e bravura

Marcaram toda esta terra

Demarcações de fronteiras

Pelas durezas da guerra

 

Europeus, índios e negros

Numa mistura racial

Formando o povo gaúcho

E nossa história cultural

 

Esta milonga é cultura

Gauchesca, verdadeira

Esta canção historiada

Vem conquistando fronteiras

 

No entreveiro de costumes

Palanqueados neste chão

Das lidas e campereadas

Aos fandangos de galpão

 

A velha bombacha larga

Repassando as gerações

E atadas ao nó do lenço

Vivem nossas emoções

 

Me leva, meu pensamento

Passear pelo pampa inteiro

Lonquear uma carne gorda

Que chora sobre o braseiro

 

Sorver um mate a preceito

Na sombra de uma figueira

Pois a vertente gaúcha

Jorra água a vida inteira

 

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários