Moradores relatam lixo, mato alto e sucateamento na Praça da Rua Ícaro

por Jornal Canudos

Não está fácil circular pela Praça Augusto Severo, uma das principais do bairro Canudos, entre as ruas Ícaro e Kiel. O mato alto e o excesso de lixo tomaram conta do espaço, frequentado por famílias ou pessoas diariamente em busca de lazer ou um simples descanso. A praça conta com campo de areia, academia ao ar livre e uma pracinha.

O morador do bairro e frentista Davi Josiel Ferreira, que passeava com a esposa Ingrid e o filho Miguel, de dois anos, pela primeira vez no local, resume o que presenciou. “É a primeira vez que venho aqui, e a maioria dos brinquedos está em bom estado de conservação, mas em outros não há condições de uso”, comenta.

Além do sucateamento de alguns objetos, os problemas são evidentes também em outros locais. A ponte de uma casinha do playground também não tem mais cordas de segurança para as crianças. “Acompanho meu filho, fico cuidando dele aqui em cima”, diz Ferreira. Como se não bastasse, outro problema relatado é a iluminação pública, que não funciona à noite.

Uma tela envolve o campo de areia, mas, em diversos pontos, ela está solta. Mas a sujeira ainda é o maior incômodo. Havia uma lixeira junto à calçada, mas resta hoje apenas a base e a tampa. Na falta dela, plásticos e outros materiais são depositados no chão.

Em maio de 2014, a praça recebeu a oitava academia ao ar livre de Novo Hamburgo, obra inaugurada pelo então prefeito Luis Lauermann. O investimento, na época, foi de R$ 29,8 mil. Da mesma maneira, alguns equipamentos também estão inutilizáveis.

Associação para autistas em Novo Hamburgo pede ajuda para seguir atendendo

Prefeitura responde

Contatada, a Prefeitura Municipal afirmou que “a Diretoria de Serviços Urbanos estava ciente da situação e já colocou na programação de serviços a serem realizados a limpeza da praça. Recentemente, novos brinquedos foram instalados e quebrados. Os brinquedos serão consertados”.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários