Falta de segurança preocupa comerciantes da Oscar Horn

por Jornal Canudos

O medo e a insegurança tomam conta de comerciantes da Estrada Vereador Oscar Horn, na altura da Rua Ícaro, no bairro Canudos. Furtos e roubos são frequentes na região, e em muitos casos os crimes são cometidos até mesmo à luz do dia.

Somente um dos estabelecimentos da região foi assaltado três vezes, entre janeiro e março deste ano, média de um a cada mês. A gerente do comércio ainda contabiliza os prejuízos. “Somente em vidros, são quase R$ 3 mil em perdas”, relata. No caso dela, os crimes são cometidos à noite ou durante a madrugada, geralmente por adolescentes.

A loja tem câmeras de segurança instaladas que registraram as ações. Em uma das filmagens, obtida pelo Jornal Canudos, o suspeito utiliza uma ferramenta improvisada para quebrar os vidros das vitrines, e em seguida furta as roupas expostas. A ação faz disparar o alarme da loja, e dura apenas um minuto. O criminoso foge em seguida com as peças e sem o objeto utilizado para auxiliar no furto.

Esta ferramenta, resgatada depois pelas comerciantes no lado de dentro da loja, é um fragmento de cabo de vassoura, utilizado para destruir o vidro, amarrado a um vergalhão em formato de gancho, que “puxa” as roupas.

Outros casos

Uma farmácia próxima ao local também já sofreu diversos assaltos. Mas, desta vez, eles não têm hora exata para acontecer. “Levam xampu e fraldas”, conta a farmacêutica. “E é adolescente, homem, mulher. Uma vez uma senhora levou coisas daqui”, afirma. No sábado (31), ela conta, foram levados 300 reais do caixa.

O número crescente de ocorrências fez com que os comerciantes da região passassem a desconfiar de todos e a criar um grupo no aplicativo de mensagens WhatsApp. “A gente fica o tempo todo observando. Se há uma suspeita, comunicamos todo mundo”, relata a farmacêutica.

A comerciante de um mercado na Ícaro, também participante do grupo, confirma as histórias e acrescenta que a falta de segurança é uma constante. Segundo ela, o crime mais comum é o roubo por parte de motociclistas, que surpreendem pessoas que caminham pela rua e levam seus pertences. “Por medo mesmo, às vezes as pessoas ignoram os fatos e acabam não registrando ocorrências”.

Brigada reconhece problema

Em nota, o Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Sinos reconhece o problema (CRPOVRS). "Os estudos de análise criminal apontam que o bairro Canudos tem um grande número de registros de ocorrência no município, tendo em vista diversos fatores como: tamanho do bairro, número populacional, questões sociais e estruturais", afirma o comando. "O 3° BPM prioriza, dentro dos recursos disponíveis, policiamento ostensivo 24 horas por dia/ 7 dias por semana, operações  (através do policiamento comunitário, pelotão de Operações Especiais e reforço de efetivo sempre que possível)".

Segundo a Brigada, porém, os registros de criminalidade caíram 19% em Novo Hamburgo no primeiro trimestre deste ano. "Em comparação ao mesmo período  (1ª de janeiro a 31 de março) do ano passado, o homicídio teve queda de 60%; o roubo a estabelecimento comercial, queda de 30%; o roubo a pedestre caiu 19%; o roubo a residência, 74%; o roubo a transporte coletivo 54% e o furto de veículo caiu 25%".

"É imprescindível", aconselha o CRPO, "que a população tenha conhecimento da importância do registro de ocorrência dos fatos dos quais são vítimas, pois é com base em dados como esses que as estratégias de combate a violência são pensadas, planejadas e operacionalizadas, possibilitando uma crescente percepção de segurança".

Também procurada, a Guarda Municipal de Novo Hamburgo afirmou que "irá avaliar a situação relatada".

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários