INSS gastou R$ 20,5 milhões em benefícios a trabalhadores em Novo Hamburgo

por Jornal Canudos

A Previdência Social teve uma despesa de pouco mais de R$ 20,5 milhões com trabalhadores em empresas de Novo Hamburgo que requereram auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio-acidente por sequelas, a partir de acidentes e lesões no trabalho, inclusive no percurso de ida ou volta, ou ainda doença relacionada a ele.

Os dados, referentes aos anos de 2012 a 2017, são do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, iniciativa do Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Os números mostram que os gastos do INSS com a chamada classificação B91 vêm diminuindo ano a ano. Em 2012, primeiro registro do levantamento, o valor gasto pela Previdência foi de quase R$ 5 milhões, montante que caiu no ano passado para R$ 1,4 milhão (veja valores na tabela ao lado).

O estudo também aponta mortes relacionadas a acidentes de trabalho. Foram 16 entre 2012 e 2017 na cidade. O INSS concedeu, ainda, 2.281 pedidos de auxílio-doença na cidade nos anos apontados pelos órgãos.

CAT

Para o empregado requerer o benefício, a empresa deve preencher a chamada Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), documento disponível no site da Previdência Social que descreve, entre outras questões, a parte do corpo do acidentado envolvida, o agente causador e a especificação da situação geradora do acidente.

Segundo os dados do Observatório, as empresas hamburguenses registraram 5.027 CATs, dentre as quais 23,7% (1.192 registros) foram por ferimentos, cortes ou suturas, 22,2% (1.117) por fraturas e outros 18% (907) por contusões ou esmagamentos.

Entre os trabalhadores envolvidos, atuantes em atendimento hospitalar lideram com folga, representando 23,1% do total (1.162 registros), seguidos pelos que trabalham em comércio varejista de alimentos, com 4,2% (215 comunicações) e fabricantes de calçados em geral (4%, ou 201 registros).

Números

- Segundo o Observatório, um acidente de trabalho é registrado no Brasil a cada 48 segundos. Entre 2012 e 2017, foram mais de 3,8 milhões de CATs.

- A cada 3h38min, uma pessoa morre no País vítima de acidente de trabalho. Em seis anos, foram 14.412 registros.

- A Previdência gastou R$ 26,2 bilhões com benefícios acidentários entre os anos pesquisados. O estudo estima que um real é gasto a cada 7 milissegundos.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários