Moradores do Kephas se mobilizam e transformam lixão em canteiro

por Jornal Canudos

Um depósito clandestino de lixo em frente à sua casa era tudo o que a costureira Maria Juçara dos Santos, 53 anos, não queria. Moradora da Rua Jacob Gerhardt, no Loteamento Kephas, ela, o marido Flavio dos Santos, 54, e os amigos da família Paulo Fobaski, 53, e Gladimir Peres, 38, resolveram revitalizar o local. Com o apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam), o entulho que antes tomava conta do espaço foi retirado, e substituído por mudas de árvores nativas.

Conforme Maria, o projeto de limpeza começou a tomar forma em janeiro deste ano. O mau cheiro e o descaso eram incômodos. “Várias vezes vimos pessoas de noite colocando lixo ali, mesmo com uma placa da Prefeitura alertando para que isso não fosse feito, então resolvemos agir”, conta. Até animais mortos já foram encontrados no local. “Tivemos, então, uma reunião com a secretaria no dia 5 de janeiro para propor soluções”.

A Semam recolheu o lixo e ajudou no aterramento do local, além de instalar uma nova placa informativa. Seis mudas de ipês também foram doadas pela Secretaria no início do ano, mas há outras plantas também, como chás, colocadas ali pelos próprios moradores, que mantêm o canteiro em caráter permanente.

“Viemos aqui todos os dias, e cada um que passa por aqui, nós fiscalizamos. Não queremos que o lixo seja jogado de novo. Neste ponto ninguém deixa mais nada”, diz Santos. Porém, bem ao lado, ainda mais próximo à boca-de-lobo que desemboca no arroio, o local requer cuidados. Por ali, ainda há lixo espalhado, e ainda não há prazo para o recolhimento dos resíduos do local.

A Prefeitura, por meio da assessoria de imprensa, informou apenas que tem a intenção de manter a parceria com os moradores para revitalizar os outros pontos do córrego. Nada que, por enquanto, tire a esperança de deixar ainda mais bonito um pedaço de Novo Hamburgo.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários