Proprietária de clínica de vacinação é presa por suspeita de não aplicar doses em pacientes

por Jornal Canudos

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada na Defesa do Consumidor e na Saúde Pública (Decon), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), prendeu na quarta-feira (14) a proprietária de uma clínica de vacinação em Novo Hamburgo. A ação, que contou com o apoio da Vigilância Sanitária Municipal, se deu em cumprimento a mandado de prisão preventiva. Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão na clínica e na residência da suspeita.

De acordo com o delegado Rafael Liedtke, a Polícia Civil recebeu denúncias de que a farmacêutica, de 37 anos, obtinha vantagem econômica vendendo vacinas que não possuía no estoque da clínica. Conforme informações, a suspeita perfurava a pele das vítimas com a agulha, mas não injetava nenhuma vacina nas mesmas. Além disso, utilizaria a mesma agulha em clientes diferentes, dentre os quais crianças e adolescentes.

Durante a execução dos mandados de busca e apreensão, foram localizadas e apreendidas no freezer da clínica, vacinas abertas, com o lacre violado e dentro das embalagens, como se estivessem cheias, porém, totalmente vazias. Na geladeira da residência da presa também foram apreendidos diversos frascos vazios de vacinas. A proprietária da clínica foi autuada pela prática dos crimes previstos nos artigos 171 e 273, ambos do código penal brasileiro, além de crimes contra as relações de consumo.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários