Descarte correto de medicamentos preserva vidas e o meio ambiente

por Jornal Canudos

Uma das grandes preocupações do cenário atual é o descarte correto de medicamentos, que, uma vez não utilizados, podem gerar dúvidas quanto à sua destinação. Remédios fora da validade, ou mesmo que estejam dentro do prazo, mas não precisam mais ser utilizados, são os tipos mais comuns de situações. No impulso, muitos recorrem ao lixo doméstico, ou mesmo locais como pias, vasos sanitários e ralos, para descartá-los, atitude que prejudica vidas e o meio ambiente.

Em Novo Hamburgo, existem dois locais em que esta destinação pode ser feita de maneira correta. A Farmácia Comunitária, mantida pela Secretaria Municipal de Saúde, é um deles. A unidade costuma receber volumes maiores de itens descartados, geralmente de pacientes do Sistema Único de Saúde que utilizam medicamentos de uso contínuo, como para o tratamento de diabetes, pressão alta, entre outros. “A equipe está apta a fazer esse tipo de acolhimento”, diz a gerente da Farmácia Comunitária, Janice Rhoden. Ela informa que a unidade conta com coletores amarelos para objetos perfurocortantes, como seringas, ampolas e agulhas descartáveis. O outro local é a Farmácia Universitária, que faz parte da estrutura da Universidade Feevale. Mantida pelo Instituto de Ciências da Saúde (ICS), o espaço, utilizado por profissionais farmacêuticos e acadêmicos para pesquisas, está de recesso até o dia 5 de fevereiro. Ali, também são recebidos medicamentos diversos, dentro ou fora da validade.

Entre os perigos do descarte incorreto de materiais perfurocortantes, está a transmissão de doenças infectocontagiosas por meio de ferimentos. Pessoas que manipulam estes objetos, como garis, têm o mesmo risco, o que provoca acúmulo de acidentes de trabalho.

Por isso, há na rede de atendimento municipal os coletores amarelos de papelão resistente, identificados com a palavra “perfurocortantes”, que seguem normas técnicas específicas. Eles são próprios para o uso de profissionais da área médico-hospitalar e estão disponíveis, além da Farmácia Comunitária, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Saúde da Família (USF) em Novo Hamburgo, além do Hospital Municipal.

Garrafas pet

As garrafas pet, segundo Janice, são adequadas ao transporte de materiais que oferecem maiores riscos. E a destinação adequada é mediada pelos profissionais da unidade. “Fazemos o acondicionamento correto dos resíduos e enviamos para o almoxarifado da Secretaria Municipal de Saúde, onde os itens são incinerados por uma empresa responsável pelo serviço”, explica. “Não podem ser colocados no lixo comum em hipótese alguma.”

Os problemas ambientais causados pela destinação de medicamentos envolvem também suas embalagens. Frascos, bisnagas, sachês, cartelas de comprimidos e vidros são invólucros que ficam contaminados. Esses materiais protegem os remédios e são escolhidos pela indústria farmacêutica para aumentar a sua vida útil, o que contribui com a degradação de ecossistemas e risco à saúde quando depositados no solo. Neste caso, o procedimento de queima, em fornos e usinas apropriados, é a melhor solução.

Onde descartar seus medicamentos

- Farmácia Comunitária: Rua Domingos de Almeida, 20, Centro. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30, exceto na quarta-feira, quando o atendimento é feito das 8h às 15h30. Mais informações pelo telefone (51) 3097-9422.

- Farmácia Universitária: no Câmpus II da Universidade Feevale (ERS-239, 2755, bairro Vila Nova). O local fica no 5º andar do prédio Branco. No momento o local está em período de recesso. Mais informações pelos telefones (51) 3586 8800, ramais 8645 e 9040.

Deixe seu comentário

Comentar sem criar conta

0
Termos e Condições.

Comentários